Resenha: System Shock 2 – Irrational Games

Blog estagnado, eu tava querendo escrever alguma coisa mas como to com preguiça e sem assunto demais pra isso, vai aí uma repostagem de uma resenha minha com revisões, enquanto vocês leêm isso ae eu tento preparar algo de nível.

———————————————

System Shock 2: Bricks will be shat.

System Shock 2

System Shock 2 é um jogo que foi produzido pela Irrational Games, empresa bem tímida (para aquela época, hoje em dia é uma empresa bastante cultuada, que inclusive mudou de nome, agora é conhecida como: 2K Australia e 2K Boston depois que foi comprada pela Take-Two Interactive) que em seu PRIMEIRO jogo, criou um clássico do PC, falo sério, pode procurar qualquer lista de Best Games Ever, System Shock 2 vai estar entre os 20 melhores, quiçá entre os 10 melhores.
A história é mais ou menos essa: Ken Levine e uns outros caras sairam da Looking-Glass Studios pra criar sua própria empresa, a supra-citada Irrational Games. Os caras criaram o conceito do jogo e começaram a procurar distribuidoras, acharam a Electronic Arts (empresa que hoje é discriminada por chupar as tetas de algumas muitas franquias), que já tinha anteriormente lançado System Shock, um jogo que contava a história de um hacker que procura destruir uma Inteligência Artifical conhecida como SHODAN, assim, em maiúsculas mesmo, que ficou louca e quis destruir a humanidade ou tomar controle do planeta, uma parada assim.

Shodan

Ele consegue destruir, fim.
Se aproveitando do jogo previamente lançado, a EA diz que esse conceito se encaixaria no mundo de System Shock, e decide lançar o jogo da Irrational Games como System Shock 2, apesar de que praticamente todos que estavam trabalhando em SS2 não tinham trabalhado em SS, sequer tinham feito um jogo. System Shock 2 foi lançado em 1999.

Pode conter spoilers, ou não.
Let’s cut the crap, O Jogo:

42 anos após Shodan ter tentado [insert-clichè-here] o mundo, mais especificamente em 2114, a nave Von Braun será a primeira forma de transporte à viajar mais rápida que a velocidade da luz (Wikipedia diz: Exatamente 299.792.458 metros por segundo no vácuo. a.k.a.: Rápido pra caralho.).
Bem, a Von Braun se junta à UNN (Unified National Nominate, um tipo de exército do planeta inteiro.), que irá com a espaçonave Rickenbacker escortar a viagem da Von Braun.

Você assume o papel de um personagem sem nome, que, na terra, se junta a UNN e passa por um período de treinamento. Durante este período você pode escolher entre três “Facções”:

Marines: Especialistas em armas de fogo e armas de energia. Armas que, virtualmente, não têm falta de munição, já que para recarregâ-las basta achar um posto de energia. Usam das suas skills em Maintenance para consertar as armas, e fazer com que elas durem mais alguns dois tiros.
Eles também tem a maior força, sendo que podem destroçar um Híbrido (chegaremos lá) em alguns poucas chave-inglesadas. Não vou falar muito dos marines porque eles são os básicos de qualquer FPS.

Navy: Sabe os boiolas da marinha? Então, foram substituídos por um bando de Geeks que sabem pouco ou quase-nada sobre armas de fogo. Esses são os caras que ao invés de atirar em câmeras de segurança, desativam elas por meio de um painel, ao invés de procurar uma chave, hackeiam a porta e fazem ela dizer “Obrigado por deixar que eu o sirva nesse dia tão maravilhoso.” (+10 pontos de nerdeza pra quem entendeu.) Os caras precisam de “Nanites”, que é a currency da nave (Meus sinônimos pra nave acabaram uns dois parágrafos atrás), que são usadas tanto pra comprar qualquer coisa em máquinas automáticas, desde munição até garrafas de whisky, e que também são usadas para hackear coisas, sem nanites, no hacking for you.

OSA: O Jogo não dá o signficado da Sigla, mas eu acho que seja algo próximo de: Oh Shit, this kicks Ass. É em OSA que SS2 mostra seu maior diferencial dos FPSs de esquina, poderes psíquicos. Têm para todos os gostos, aumentar a velocidade, força, Hacking, entre outros, mas só por alguns minutos, assim como os “buffs” em MMORPGs, conseguir ítens que antes você não conseguiria, com algumas habilidades como “Kinetic Redirection” que traz ítens fora de alcance para você, poderes de ataques, e MUITOS outros. No total, são 35 poderes, e bem legais por sinal. Fazer um robô atacar todas as criaturas não-humanas por um período de tempo ou se teleportar pra onde você quiser? Nice.

————————————————-

Ok, após escolher a empresa/facção que você vai participar, você passa por um período de treinamento de três anos. Nada demais, cada ano você pode escolher uma de três salas para formar a Build inicial do seu personagem, ou seja, quantos pontos ele terá de,
Strenght, força do personagem, tamanho do inventório, o dano que ele vai infligir em um combate melee, etc.

Endurance, HP Máximo, e a resistência do personagem à toxinas e radiação, Psionics, o dano que habilidades psíquicas irão causar, a duração, entre outros.

Agility, Velocidade do personagem, o quanto do coice da arma que ele irá receber, e o dano de queda e finalmente, Cyber, que seria a facilidade que o personagem terá quando for tentar hackear algo, consertar ou modificar.

————————————————-

Depois desse treinamento é aonde o jogo realmente começa.

Cinco meses após o começo da viagem, o personagem acorda na Ala médica da Von Braun, sem memória por culpa de um mal-funcionamento dos computadores. A única pessoa com quem ele pode falar é uma mulher que manda e-mails ou algo parecido pra ele, indicando qual seria o próximo objetivo dele e dá uma leve explicada no que está acontecendo.
Aparantemente, XERXES, o computador da nave, ficou MALOCOWLZ e está fodendo completamente com a nave. Robôs e Turrets estão descontrolados atacando qualquer humano que se aproxime, mas ele não vê problema nenhum com humanos mutantes e macacos super-inteligentes. Além disso, várias partes da espaçonave estão trancadas por culpa de XERXES.
Logo no ínicio, o personagem principal (só pra esclarecer: Ele não tem um nome, bgs) se vê com uma chave inglesa e atacando alguns híbridos, que praticamente tomaram conta da nave.

Esse é o Híbrido, praticamente o Slime de SS2.

Macaco Ratazana da Somália

Macaco Psíquico mutante. E o jogo não é tão bonito quanto aparenta (é um jogo de 1999 feito por caras que nunca programara antes, não fode), o cara tá usando mods pra embelezar, como o Rebirth, que eu recomendo fortemente.

Porra, isso tá ficando muito longo, vou tentar não me extender muito mais.

A Narrativa de SS2 é muito do caralho, porque ninguém te conta o que está acontecendo, você apenas vê o que acontece e a partir dali você tira suas próprias conclusões, as únicas dicas que você tem sobre o que está acontecendo é os Logs espalhados pela Nave, e muitas vezes você não conseguirá entendê-los muito bem a não ser que você tenha vários deles, para aí sim, você conseguir entender levemente o que está acontecendo. E eu acho isso ótimo, porque deixa o jogo aberto a interpretações, talvez porque você tenha informação incompleta, talvez não. Por exemplo, no ínicio do jogo é difícil saber se o Diego causou tudo aquilo ou apenas deixou-se levar pelo The Many. Quem jogou ou jogará irá entender.

Além disso, existem diversas possibilidades para o seu gameplay já que você pode escolher diferentes instituições, e isso adiciona um fator replay altíssimo no jogo, já que se você quiser, você pode jogar de maneiras difentes cada vez que você for jogar, algo meio Fable, mas BEM melhor executado.

Agora, o feeling do jogo é fortíssimo. Imagine-se em um lugar bastante claustrófobico, você não vê nenhum humano, e todos os seres que você vê estão prontos pra te matar. E puta que pariu, o Híbrido, quando está te atacando, ele PEDE para que você mate ele, ou então pede desculpas por estar te atacando, e isso é extremamente foda e ao mesmo tempo te deixa com um pé atrás sempre que você for jogar porque não é como Doom ou Half-Life, que os monstros nasceram com o único objetivo de te matar, os Híbridos não tem controle sobre suas ações, porque eles são Humanos infectados por alienígenas, eles agem por instinto, mas sabem de tudo que estão a par de tudo que está acontecendo, e isso é muito assustador. (Ou eu sou apenas viado, fica a par da interpretação do leitor)

Muitos podem até dizer que os gráficos do jogo não assustariam ninguém, mas o jogo não se trata de medo visual, como em jogos como Doom3 que o monstro sai de dentro do armário falando BOO!, É um medo psicológico, isso quer dizer que, você pode ter trinta shotguns em perfeito estado, mas ainda assim, você vai abrir essa porta com cuidado, pra caso tenha um Híbrido lá dentro. Sabe quando você jogou Silent Hill e quase se cagou de tanto medo? Então, Silent Hill apesar de ser um jogo extremamente antigo ainda conseguia arrancar sustos de várias pessoas, ou pelo menos, eu, e System Shock usa da mesma fórmula de Survival Horrors, pode até ser considerado um pelas pessoas mais mente abertas.

Pra finalizar, System Shock 2 é um jogo maravilhoso, um clássico do PC apesar de ter vendido bem pouco. Aconselho qualquer um que busque uma experiência diferente com FPSs a baixar System Shock, o jogo é foda.

System Shock 2 tem um sucessor espiritual, Bioshock, jogo que foi lançado em 2007 mas é bem desconhecido, alguém aqui já ouviu falar?
E o SS2 não é parecido com Deus Ex, Deus Ex que é parecido com SS2, fuckers.

System Shock 2

Anúncios

17 setembro, 2008 at 5:14 pm 2 comentários

Large Hadron Collider (Grande Colisor de Hádrons) entra em fucnionamento.

Pois é, o tão comentado LHC (Large Hadron Collider ou Grande Colisor de Hádrons) entrou em funcionamento hoje, dia 10 de setembro de 2008, de acordo com nosso camarada Google, que foi o motivo de eu ter lebramdo de postar isso aqui.

Para quem não sabe, ele é só o maior acelerador de partículas do mundo, e fica localizado no CERN, fronteira da frança com a suiça.

Área ocupada pelo LHC

Área ocupada pelo LHC

Sua forma é circular com uma circunferencia de 27km. Ao contrário dos demais aceleradores de partículas, a colisão será entre prótons e não entre pósitrons e elétrons (como no LEP – Large Electron-Positron Collider), entre prótons e antiprótons (como no Tevatron) ou entre elétrons prótons (como em HERA). Possui um túnel a 100 metros ao menos debaixo da terra na fronteira da França com a Suíça, onde os prótons serão acelerados no anel de colisão que tem cerca de 8,6 km de diâmetro.

Amplificadores serão usados para fornecer ondas de rádio que são projetadas dentro de estruturas repercussivas conhecidas como cavidades de freqüência de rádio. Exatamente 1232 ímãs bipolares supercondutores de 35 toneladas e quinze metros de comprimento agirão sobre as transferências de energias dentro do LHC.

Os detectores de partículas ATLAS, ALICE, CMS e LHCb, que monitoram os resultados das colisões, possuem mais ou menos o tamanho de prédios de cinco andares (entre 10 e 25 metros de altura) e 12 500 toneladas. O LHC custou cerca de nove bilhões de dólares ao contribuinte europeu. Ok, o bixo é meio ignorante, mas pra que inventaram isso? Podiam acabar com a fome no mundo, mas anyway…

Bom, um dos principais objetivos do LHC é tentar explicar a origem da massa das partículas elementares e encontrar outras dimensões do espaço, entre outras coisas. Uma dessas experiências envolve a partícula bóson de Higgs. (Explicou muita coisa ¬¬)

Os cientistas Walter Wagner e Luiz Sancho acreditam que este equipamento pode provocar uma catástrofe de

Large Hadron Collider

Large Hadron Collider

dimensões cósmicas, como um buraco negro que acabaria por destruir a Terra. Para tanto, corre um processo num tribunal do Havaí tentando impedir a experiência, até que haja uma total comprovação de que não haja riscos. Apesar das alegações “catastróficas”, físicos teóricos de notável reputação como Stephen Hawking e Lisa Randall afirmam que tais teorias são meramente absurdas, e que as experiências foram meticulosamente estudadas e revisadas e estão sob controle.

Entretanto, se um buraco negro fosse produzido dentro do LHC, ele teria um tamanho milhões de vezes menor que um grão de areia, e não viveria mais de 10-27 segundos, pois por ser um buraco negro, emitiria radiação e deixaria de existir. Mas, supondo que mesmo assim ele continuasse estável, continuaria sendo inofensivo. Esse buraco negro teria sido criado à velocidade da luz (300 mil km por segundo) e continuaria a passear neste ritmo se não desaparecesse. Em menos de 1 segundo ele atravessaria as paredes do LHC e se afastaria em direção ao espaço. A única maneira de ele permanecer na Terra é se sua velocidade for diminuída a 15 km por segundo. E, supondo que isto ocorresse, ele iria para o centro da Terra, devido à gravidade, mas continuaria não sendo ameaçador. Para representar perigo, seria preciso que ele adquirisse massa, mas com o tamanho de um próton, ele passaria pela Terra sem colidir com outra partícula (não parece, mas o mundo ultramicroscópico é quase todo formado por vazio), e ele só encontraria um próton para somar à sua massa a cada 30 minutos a 200 horas. Para chegar a ter 1 miligrama, seria preciso mais tempo do que a idade atual do universo.

Então meus amigos…
Se até hoje você aí não fechou Zelda – Ocarina of Time, ficou famoso, ou ajudou a humanidade em alguma coisa, é melhor você se apressar pois daqui há um mês a máquina vai estar funcionando do jeito certo…

P.s.: Não quero que você, pseudo-intelectual de internet venha comentar no meu blog, se isso acontecerá ou não, eu sei dos fatos e sei como as coisas funcionam, mas como isso virou assunto por aí, virou um post aqui.

E pra quem freqüenta o 4chan
http://www.rowrowfightthepower.com/

ROW ROW FIGHT THE POWAH

Manhattan e Pepelusky

10 setembro, 2008 at 9:53 pm 2 comentários

Um pouco de LSD pra vocês crianças…

http://www.neave.com/strobe/

Depois de assistir, tente fazer algo tipo jogar um joguinho em flash com bastante cores!

Tente também o resto do site e  o pouco de sanidade que irá lhe restar depois de visitá-lo.

enjoy!

P.s.: Se você for epiléptico, não assita! (ou assista e morra, grato) u.u

Pepelusky

28 agosto, 2008 at 9:04 pm 1 comentário

Grupo mexicano RBD anuncia que vai se separar

Boas noticias vem assim mesmo, você tá lá… desolado com seu sábado que tá uma porcaria, e PAM! Vem um treco desses pra fazer seu dia feliz!

———————————————————–

NATHALIA SALVADO
Em São Paulo:

A Cara das pessoas que depois de quatro anos de sucesso fizeram sua felicidade.

A Cara das pessoas que depois de quatro anos de "sucesso" fizeram sua felicidade.

“O grupo mexicano “RBD” anunciou sua separação por meio de um comunicado em seu site oficial, nesta sexta-feira (15), após quatro anos de sucesso.
Alfonso, Any, Christian, Christopher, Dulce María e Maite agradeceram o carinho dos fãs. “Vocês tem marcado nossas vidas de uma maneira inigualável. Levaremos isso em nosso coração para sempre”, disseram no comunicado.

O “RBD”, que alcançou a fama com o seriado “Rebeldes”, veiculado no Brasil pelo SBT e Disney Channel, fez shows no Rio de Janeiro e em São Paulo em maio deste ano.”

———————————————————–
Fonte: http://www.famosidades.com.br/v2/gerador/paginas_geradas/noticias/noticias_mod_7042.htm

Aliás… pela “fama” que eles ganharam, eu nem me esforçaria tanto assim…

Pepelusky

16 agosto, 2008 at 3:49 pm 3 comentários

The Chzo Mythos: 5 Days a Stranger

Escrevi esse artigo faz um tempinho, e pra o blog não entrar no marasmo (além do fato de que eu gosto quando as pessoas leêm o que eu escrevo) eu vou postar aqui denovo.

——————————————————–

Are you scared, yet?

Existiu uma vez, um mundo mágico de unicórnios e pênis voadores, onde dinossauros jogavam playstations, e goombas reinavam sobre a terra.
Um mundo onde a LucasArts fazia jogos de verdade, e não chupava até a última gota de leite das tetas de uma vaquinha em especial chamada: Star Wars.
Bem, foi nesse mundo mágico que surgiu vários jogos de point’n’click, ou graphic adventures, chame como quiser. Aquilo não era exclusividade da LucasArts, mas foi ela que deu impulso para o estilo florescer, um estilo que hoje em dia está praticamente morto.

Quando um meteoro atingiu a terra, esses dinossauros, pênis e unicórnios morreram todos, aí veio a humanidade.
Junto com a humanidade veio a vontade de destruir uns aos outros, e aí foi criado os First-Person Shooters e esses outros jogos de viados. Bem, nesse mundo pós-apocalíptico, eis que um programador amador vem ao resgate dos humanos que ainda sonham com aquele mundo de fantasia do começo do artigo.

Ben “Yahtzee” Crosshaw (www.fullyramblomatic.com), ou apenas Yahtzee mesmo, é um programador (ou quase), escritor, e mais algumas coisinhas, traduzindo: Pau pra toda obra, e foi esse cara que criou um dos jogos que mais me prendeu nesses últimos tempos:

5 Days a Stranger.

Wow, tela inicial impactante

5 Days a Stranger, faz parte de uma quadrilogia (Quadrilogia que alguns chamam de The Chzo Mythos, mas eu não tenho certeza se é correto ou se é só por não ter um nome pra chamar a série) composta por jogos igualmente bons (ou melhores até), os quais seriam:

5 Days a Stranger, que é o primeiro
7 Days a Skeptic, que é o segundo
Trilby’s Notes, como podem presumir, o terceiro.
e
6 Days a Sacrifice, que, surpresa, é o quarto.

Mas nesse artigo eu não vou falar sobre os outros jogos, vou tentar escrever apenas sobre o 5 Days a Stranger.

Então, em 5 Days a Stranger, você joga como um personagem sem nome, bem, ele temIsso é um trilby, não esse ladrão safado. um nome REAL, mas ninguém sabe qual é. Quando eu digo real, eu quero dizer um nome que mamãe e papai deram, porque ele, já no início do jogo ele diz que tem muitos nomes, Ladrão, Gatuno, Ladino, Dedos-Leves, ou, como você pode chamar ele se precisar de um nome: Trilby.

Pera, então ele é um ladrão?
BANG, REALITY SHOCK.
Sim, Gentleman Thief, como ele gosta de ser chamado.

Ok, devidamente apresentado, continuemos.

Bem, a história é a seguinte, Trilby recebe uma dica, de que ele pode faturar bastante em um roubo à uma mansão, a DeFoe Manor, Os últimos DeFoe morreram, e não havia nenhum herdeiro, então todo o dinheiro, jóias, quadros, etc. vão ficar lá até acharem um dono para tudo isso. Bem, Trilby acha que o dono deveria ser ele.
Ele consegue invadir a mansão, e se surpreende quando não encontra loot nenhum para ser roubado, ok, ele já imaginava isso, mas valia a tentativa de uma maneira ou de outra. Ou não.

Trilby se vê trancado dentro da mansão, a janela pela qual ele acabou de entrar não quer abrir, então ele vai ter que se aventurar dentro da casa pra conseguir achar uma saída,Oi, meu nome é Trilby. até ele descobrir que todas as saídas estão trancadas. Então ele descobre que ele não está sozinho, junto dele, há pelo menos 4 outras pessoas trancadas dentro da mansão.
É, é, aquela historinha clichê, junto de sua turminha do barulho, Trilby vai ter que achar uma saída da mansão. É, tudo é3 diversão até que alguém fure um olho. Ou morra esfaqueado.

Cara, só agora que eu percebi como é difícil falar do jogo sem spoilar partes importantes, então eu acho que vou parar por aqui mesmo, vai lá jogar o jogo e tire suas próprias conclusões.

Considerações finais: 5 Days a Stranger é um ótimo jogo, com uma história soberba, bem escrita pra caralho, com várias coisinhas espertas que vão fazer você rir alto (por exemplo, fique dando Look At em uma porta qualquer por várias vezes), e cheio de mistério e sustinhos pra fazer você se sentir uma bichinha acuada.

Lembrando que 5 Days a Stranger apenas ARRANHA a história completa da série, que fica muito mais sombria nos jogos que continuam 5 days a Stranger (Highlight no Trilby’s notes, que é um jogo muito perturbador que, se você for como eu, vai perder algumas horas de sono com ele.)
E você vai querer jogar os jogos em sequência.

5 Days a Stranger
Go play it, faggot.

16 agosto, 2008 at 12:44 pm 4 comentários

Mudo, porém Genial

Charlie Chaplin

Charlie Chaplin

Já que estavam falando sobre o filme do Batman e citamos alguns clássicos nos comentários como “Laranja Mecânica” de Stanley Kubrick, por que não saudar o incrível gênio Charles Chaplin e seu personagem conhecidíssimo até hoje: o Carlitos!

Isso mesmo! Em tempos de filmes com efeitos especiais absurdos, Dolby Surround e Fala(isso mesmo, fala) vamos falar sobre filmes antigos em preto e branco e sem fala.

Já vi muita gente falando, “Ah, mas é em preto e branco, deve ser uma bosta!” ou “É antigo, que horrível!” ou até mesmo “Os personagens não falam! Ridículo!”, fico revoltado com isso, não assistiram e falam mal dos filmes por motivos ridículos. Quem assistiu algum filme do Chaplin sabe muito bem que não importa a idade, o sexo e muito menos se sua TV é de plasma com 55” Widescreen com som Dolby Surround, todos que assistem adoram, pois as histórias são perfeitas, misturam drama, comédia, romance além de outros gêneros. Os filmes emocionam e fazem rir(e muito).

Então não importa se é velho, todos que vêem adoram até hoje, filmes são muito mais do que efeitos especiais e orçamentos de 500 trilhões de dólares.

Mas quem foi Charlie Chaplin?

“Charlie Chaplin, nasceu em Walworth, Londres, dos pais Sr. Charles e Hannah Harriette Hill, ambos artistas de music-hall. Seus pais separaram-se logo após seu nascimento, deixando-o aos cuidados de sua mãe cada vez mais instável emocionalmente. Em 1896, ela ficou desempregada e não conseguia encontrar outro emprego; Charlie e seu meio-irmão mais velho Sydney tinham de ser deixados em uma casa de trabalho em Lambeth,

Chaplin e Einstein

Charlie Chaplin e Albert Einstein durante a estréia do filme "Luzes da Cidade" de Chaplin em 1931.

mudando-se após várias semanas para a Escola Hanwell para Crianças Órfãs e Destituídas. Seu pai faleceu com problemas de vício em bebida quando Charlie estava com 12 anos de idade, e sua mãe ficou com sérios problemas mentais e mais tarde foi admitida no Asilo Cane Hill próximo a Croydon. Ela faleceu em 1928.

Chaplin subiu ao palco pela primeira vez aos 5 anos, em 1894, quando representou no music hall diante de sua mãe, que lhe ensinou a cantar e a representar. Ainda criança ele esteve de cama por duas semanas devido a uma séria doença quando, à noite, sua mãe sentava-se na janela e representava o que acontecia fora de casa. Em 1900, com 11 anos, ele conseguiu com a ajuda do irmão o papel cômico do gato em uma pantomima, Cinderela no “London Hippodrome”. Em 1903 ele participou de “Jim, a romance of cockyne”, após o que assumiu seu primeiro trabalho regular, como o entregador de jornal Billy em Sherlock Holmes, um papel que representou até 1906.

A este, seguiu-se o Court Circus de Casey, um show de variedades e, no ano seguinte, ele se tornou o palhaço em “Fun Factory” de Fred Karno, companhia de comédia-pastelão. De acordo com registros de imigração, ele chegou aos Estados Unidos da América com o trupe de Karno em 2 de outubro, 1912. Na Companhia de Karno estava Arthur Stanley Jefferson, que se tornaria conhecido e amado como Stan Laurel, o magro da conhecida dupla O Gordo e o Magro. Chaplin e Laurel preferiram compartilhar um quarto em uma pensão. A atuação de Chaplin foi eventualmente vista pelo produtor de filmes Mack Sennett, que o contratou para seu estúdio, o Keystone Film Company. Embora inicialmente Chaplin tivesse dificuldade para se ajustar ao estilo de ação da Keystone filme, ele logo se adaptou e floresceu no meio. Isto foi possível, em parte, por Chaplin ter desenvolvido o personagem trampolim dele, eventualmente ganhando o controle de direção e criação em cima dos filmes dele que o permitiram tornar-se a grande estrela e talento da Keystone.”

Wikipedia

Calvero, personagem de Chaplin em "Luzes da Ribalta".

Calvero, personagem de Chaplin em "Luzes da Ribalta".

Quem assiste aos filmes do Chaplin vê que ele é um gênio, pois além de ser diretor e ator, Chaplin compunha as músicas como foi dito antes, e fazia as coreografias, além de escrever os filmes, e como todo gênio ele era chato, quem trabalhava com o Chaplin dizia que ele repetia as cenas até ficarem perfeita (e ficavam!).

“Em busca do ouro” e “Tempos Modernos” estão entre os filmes mais engraçados e emocionantes de todos os tempos em minha opinião, também temos Luzes da Ribalta que tem uma história maravilhosa (esse já é com fala) e tem uma das cenas mais engraçadas que eu já vi, também temos “O Grande Ditador, o seu primeiro falado, que foi feito na época da segunda guerra, e no final ele faz um discurso maravilhoso, além das memoráveis e engraçadíssimas cenas! Enfim, só assistindo para ver como os filmes são perfeitos.

Concluindo, eu recomendo todos os filmes deles que em minha opinião, e na de muitas outras pessoas, são as maiores obras de arte do cinema e recomendo também o filme “Chaplin” que é a biografia dele.

Abraços!

NemesisHell

10 agosto, 2008 at 10:20 pm 2 comentários

Why so serious? [colocar uma foto sua pintada no estilo Curinga aqui]

Primeiro de tudo, gostaria de dizer que não fui eu que escrevi o seguinte texto, trata-se de um indignado amigo, que quer expressar sua raiva não só pelos pseudo-fãs de coringa, mas por todos os posers que acabam arruinando com a reputação de qualquer coisa que vc gosta… lá vai.

  • Maldita modinha…

Death Ledger em seu último papel.

Ninguém nega que Batman Begins foi um grande filme. Christian Bale fez uma grande atuação interpretando o cavaleiro das trevas, e o modo como o filme aproxima a ficção e a fantasia da realidade é sensacional. Com o sucesso do primeiro filme, não é surpresa que haveria uma continuação. E dessa vez com o melhor vilão da DC, e para alguns (como eu) o melhor vilão do ocidente (é porque no oriente existe um tal de Sephiroth), é… ele mesmo, O Palhaço, O Bobo, O Joker… O coringa (NOTA: curinga, aquele das cartas, os bobos da corte, se escreve com U “CURINGA”, sabe-se lá por que diabos o curinga do Batman se escreve com O).

Antes de prosseguir, quero ressaltar que sou um grande fã do Coringa antes mesmo de Heath Ledger pensar em queimar a roscar nas montanhas de Brokeback, considero o melhor vilão de todos os tempos, conheço todas suas frases, leio os quadrinhos, assisto os desenhos e por aí vai, e o Batman? Batman é uma morceguinha. É eu também faço parte daquele grupo que sempre torce pros vilões e que abominam os heróis, porque legal mesmo é ser mau, Darth Vader, Frajola, Coiote, Vegeta, Ikki, Hiei, Tom, Sephiroth, Magneto, Vingador, Bill (de Kill Bill)… a lista é longa.

Continuando… O filme já era bem esperado pelos fãs de Batman e principalmente pelos fãs do Coringa, mas foi com a morte de Heath Ledger, que pegou pesado na maracujina, que o filme chamou atenção dos “não fãs” (ou posers).
O filme estréia, os ingressos esgotam, as filas crescem, os cinemas lotam. E graças a Deus o filme é ótimo (altamente recomendado, até pra quem não curte o morcego de Gotham), Heath Ledger faz uma atuação épica, e imortaliza o palhaço na história do cinema, Jack Nicholson que fez o antigo Coringa disse antes do filme “Não temo ninguém que atue depois de mim” e eu digo “comece a temer jack”. O novo coringa é melhor, mais macabro, mais sádico, mais mau, mais coringa. As pessoas assistem e não sabem se riem ou se assustam com as ações d’O Palhaço. E ao fim do filme, um simples “em memória de Heath Ledger” agradece ao mestre.

Saio do cinema com um sorriso no rosto (pegou o trocadilho?), por não estragarem meu personagem preferido, o problema é o dia seguinte.
Metades dos meus amigos no MSN estão com “Why so Serious?” no nick, a outra metade, tem uma foto do Coringa na imagem de exibição. Tipo… eu não me importo da galera gostar não, o foda é que quem não me conhece à tempo, acha que eu sou só mais um que gostou do filme, e toda a reputação que eu criei como um grande fã do Coringa, se apaga por que um monte de gente que nunca tocou num HQ se auto denomina fã, porque assistiu o filme uma vez. Antes era legal ter uma imagem do coringa na imagem de exibição, ou uma das frases clássicas dele, ou um action figure no quarto, aquilo demonstrava minha personalidade, e minha admiração por um personagem criativo, meus amigos perguntavam “porque o Coringa?” e eu tinha muito que dizer, e no final todos acabavam concordando “é mesmo… ele é foda”, mas agora não, qualquer um põe uma imagem dele e se diz grande fã… pode parecer besteira pra quem está lendo, mas pegue o personagem que você mais gosta de um quadrinho, desenho livro, etc… só você gosta dele… e todo mundo acha isso estranho, mas você consegue convencer a todos de que ele é foda… e legal que sempre que a pessoa vê aquele personagem, ela lembra de você, e só de você, ok, agora imagine que saia um filme com esse personagem, e o filme é um grande sucesso, todo mundo passa a gostar dele, todo mundo fala dele, todo mundo se diz fã, e você como fica? Só mais um meio a muitos. Dá raiva, dá vontade de cortar a cabeça de todo mundo.

É a tal da modinha, acontece muito com a musica, só você gosta de uma musica, e todo mundo lembra de você quando escuta, aí três meses depois ela começa a tocar no radio e todo mundo vira fã da banda ¬¬. Morra a modinha! Morram os Posers!Viva Nicholson! Viva Ledger!Viva Dercy! Viva O Palhaço!

Batman: “-Você é louco Coringa!”
Coringa: “-Eu sou louco? Você se veste de morcego e sai pulando de prédio em prédio…

Por: Caio Chaar (kaká)

8 agosto, 2008 at 12:29 am 54 comentários

Posts antigos


dezembro 2017
S T Q Q S S D
« set    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Tópicos recentes

Blog Stats

  • 12,543 hits!