Posts filed under ‘Filmes’

Mudo, porém Genial

Charlie Chaplin

Charlie Chaplin

Já que estavam falando sobre o filme do Batman e citamos alguns clássicos nos comentários como “Laranja Mecânica” de Stanley Kubrick, por que não saudar o incrível gênio Charles Chaplin e seu personagem conhecidíssimo até hoje: o Carlitos!

Isso mesmo! Em tempos de filmes com efeitos especiais absurdos, Dolby Surround e Fala(isso mesmo, fala) vamos falar sobre filmes antigos em preto e branco e sem fala.

Já vi muita gente falando, “Ah, mas é em preto e branco, deve ser uma bosta!” ou “É antigo, que horrível!” ou até mesmo “Os personagens não falam! Ridículo!”, fico revoltado com isso, não assistiram e falam mal dos filmes por motivos ridículos. Quem assistiu algum filme do Chaplin sabe muito bem que não importa a idade, o sexo e muito menos se sua TV é de plasma com 55” Widescreen com som Dolby Surround, todos que assistem adoram, pois as histórias são perfeitas, misturam drama, comédia, romance além de outros gêneros. Os filmes emocionam e fazem rir(e muito).

Então não importa se é velho, todos que vêem adoram até hoje, filmes são muito mais do que efeitos especiais e orçamentos de 500 trilhões de dólares.

Mas quem foi Charlie Chaplin?

“Charlie Chaplin, nasceu em Walworth, Londres, dos pais Sr. Charles e Hannah Harriette Hill, ambos artistas de music-hall. Seus pais separaram-se logo após seu nascimento, deixando-o aos cuidados de sua mãe cada vez mais instável emocionalmente. Em 1896, ela ficou desempregada e não conseguia encontrar outro emprego; Charlie e seu meio-irmão mais velho Sydney tinham de ser deixados em uma casa de trabalho em Lambeth,

Chaplin e Einstein

Charlie Chaplin e Albert Einstein durante a estréia do filme "Luzes da Cidade" de Chaplin em 1931.

mudando-se após várias semanas para a Escola Hanwell para Crianças Órfãs e Destituídas. Seu pai faleceu com problemas de vício em bebida quando Charlie estava com 12 anos de idade, e sua mãe ficou com sérios problemas mentais e mais tarde foi admitida no Asilo Cane Hill próximo a Croydon. Ela faleceu em 1928.

Chaplin subiu ao palco pela primeira vez aos 5 anos, em 1894, quando representou no music hall diante de sua mãe, que lhe ensinou a cantar e a representar. Ainda criança ele esteve de cama por duas semanas devido a uma séria doença quando, à noite, sua mãe sentava-se na janela e representava o que acontecia fora de casa. Em 1900, com 11 anos, ele conseguiu com a ajuda do irmão o papel cômico do gato em uma pantomima, Cinderela no “London Hippodrome”. Em 1903 ele participou de “Jim, a romance of cockyne”, após o que assumiu seu primeiro trabalho regular, como o entregador de jornal Billy em Sherlock Holmes, um papel que representou até 1906.

A este, seguiu-se o Court Circus de Casey, um show de variedades e, no ano seguinte, ele se tornou o palhaço em “Fun Factory” de Fred Karno, companhia de comédia-pastelão. De acordo com registros de imigração, ele chegou aos Estados Unidos da América com o trupe de Karno em 2 de outubro, 1912. Na Companhia de Karno estava Arthur Stanley Jefferson, que se tornaria conhecido e amado como Stan Laurel, o magro da conhecida dupla O Gordo e o Magro. Chaplin e Laurel preferiram compartilhar um quarto em uma pensão. A atuação de Chaplin foi eventualmente vista pelo produtor de filmes Mack Sennett, que o contratou para seu estúdio, o Keystone Film Company. Embora inicialmente Chaplin tivesse dificuldade para se ajustar ao estilo de ação da Keystone filme, ele logo se adaptou e floresceu no meio. Isto foi possível, em parte, por Chaplin ter desenvolvido o personagem trampolim dele, eventualmente ganhando o controle de direção e criação em cima dos filmes dele que o permitiram tornar-se a grande estrela e talento da Keystone.”

Wikipedia

Calvero, personagem de Chaplin em "Luzes da Ribalta".

Calvero, personagem de Chaplin em "Luzes da Ribalta".

Quem assiste aos filmes do Chaplin vê que ele é um gênio, pois além de ser diretor e ator, Chaplin compunha as músicas como foi dito antes, e fazia as coreografias, além de escrever os filmes, e como todo gênio ele era chato, quem trabalhava com o Chaplin dizia que ele repetia as cenas até ficarem perfeita (e ficavam!).

“Em busca do ouro” e “Tempos Modernos” estão entre os filmes mais engraçados e emocionantes de todos os tempos em minha opinião, também temos Luzes da Ribalta que tem uma história maravilhosa (esse já é com fala) e tem uma das cenas mais engraçadas que eu já vi, também temos “O Grande Ditador, o seu primeiro falado, que foi feito na época da segunda guerra, e no final ele faz um discurso maravilhoso, além das memoráveis e engraçadíssimas cenas! Enfim, só assistindo para ver como os filmes são perfeitos.

Concluindo, eu recomendo todos os filmes deles que em minha opinião, e na de muitas outras pessoas, são as maiores obras de arte do cinema e recomendo também o filme “Chaplin” que é a biografia dele.

Abraços!

NemesisHell

Anúncios

10 agosto, 2008 at 10:20 pm 2 comentários

Why so serious? [colocar uma foto sua pintada no estilo Curinga aqui]

Primeiro de tudo, gostaria de dizer que não fui eu que escrevi o seguinte texto, trata-se de um indignado amigo, que quer expressar sua raiva não só pelos pseudo-fãs de coringa, mas por todos os posers que acabam arruinando com a reputação de qualquer coisa que vc gosta… lá vai.

  • Maldita modinha…

Death Ledger em seu último papel.

Ninguém nega que Batman Begins foi um grande filme. Christian Bale fez uma grande atuação interpretando o cavaleiro das trevas, e o modo como o filme aproxima a ficção e a fantasia da realidade é sensacional. Com o sucesso do primeiro filme, não é surpresa que haveria uma continuação. E dessa vez com o melhor vilão da DC, e para alguns (como eu) o melhor vilão do ocidente (é porque no oriente existe um tal de Sephiroth), é… ele mesmo, O Palhaço, O Bobo, O Joker… O coringa (NOTA: curinga, aquele das cartas, os bobos da corte, se escreve com U “CURINGA”, sabe-se lá por que diabos o curinga do Batman se escreve com O).

Antes de prosseguir, quero ressaltar que sou um grande fã do Coringa antes mesmo de Heath Ledger pensar em queimar a roscar nas montanhas de Brokeback, considero o melhor vilão de todos os tempos, conheço todas suas frases, leio os quadrinhos, assisto os desenhos e por aí vai, e o Batman? Batman é uma morceguinha. É eu também faço parte daquele grupo que sempre torce pros vilões e que abominam os heróis, porque legal mesmo é ser mau, Darth Vader, Frajola, Coiote, Vegeta, Ikki, Hiei, Tom, Sephiroth, Magneto, Vingador, Bill (de Kill Bill)… a lista é longa.

Continuando… O filme já era bem esperado pelos fãs de Batman e principalmente pelos fãs do Coringa, mas foi com a morte de Heath Ledger, que pegou pesado na maracujina, que o filme chamou atenção dos “não fãs” (ou posers).
O filme estréia, os ingressos esgotam, as filas crescem, os cinemas lotam. E graças a Deus o filme é ótimo (altamente recomendado, até pra quem não curte o morcego de Gotham), Heath Ledger faz uma atuação épica, e imortaliza o palhaço na história do cinema, Jack Nicholson que fez o antigo Coringa disse antes do filme “Não temo ninguém que atue depois de mim” e eu digo “comece a temer jack”. O novo coringa é melhor, mais macabro, mais sádico, mais mau, mais coringa. As pessoas assistem e não sabem se riem ou se assustam com as ações d’O Palhaço. E ao fim do filme, um simples “em memória de Heath Ledger” agradece ao mestre.

Saio do cinema com um sorriso no rosto (pegou o trocadilho?), por não estragarem meu personagem preferido, o problema é o dia seguinte.
Metades dos meus amigos no MSN estão com “Why so Serious?” no nick, a outra metade, tem uma foto do Coringa na imagem de exibição. Tipo… eu não me importo da galera gostar não, o foda é que quem não me conhece à tempo, acha que eu sou só mais um que gostou do filme, e toda a reputação que eu criei como um grande fã do Coringa, se apaga por que um monte de gente que nunca tocou num HQ se auto denomina fã, porque assistiu o filme uma vez. Antes era legal ter uma imagem do coringa na imagem de exibição, ou uma das frases clássicas dele, ou um action figure no quarto, aquilo demonstrava minha personalidade, e minha admiração por um personagem criativo, meus amigos perguntavam “porque o Coringa?” e eu tinha muito que dizer, e no final todos acabavam concordando “é mesmo… ele é foda”, mas agora não, qualquer um põe uma imagem dele e se diz grande fã… pode parecer besteira pra quem está lendo, mas pegue o personagem que você mais gosta de um quadrinho, desenho livro, etc… só você gosta dele… e todo mundo acha isso estranho, mas você consegue convencer a todos de que ele é foda… e legal que sempre que a pessoa vê aquele personagem, ela lembra de você, e só de você, ok, agora imagine que saia um filme com esse personagem, e o filme é um grande sucesso, todo mundo passa a gostar dele, todo mundo fala dele, todo mundo se diz fã, e você como fica? Só mais um meio a muitos. Dá raiva, dá vontade de cortar a cabeça de todo mundo.

É a tal da modinha, acontece muito com a musica, só você gosta de uma musica, e todo mundo lembra de você quando escuta, aí três meses depois ela começa a tocar no radio e todo mundo vira fã da banda ¬¬. Morra a modinha! Morram os Posers!Viva Nicholson! Viva Ledger!Viva Dercy! Viva O Palhaço!

Batman: “-Você é louco Coringa!”
Coringa: “-Eu sou louco? Você se veste de morcego e sai pulando de prédio em prédio…

Por: Caio Chaar (kaká)

8 agosto, 2008 at 12:29 am 54 comentários


outubro 2017
S T Q Q S S D
« set    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Tópicos recentes

Blog Stats

  • 12,540 hits!